Empreendedorismo Feminino: 34% das mulheres lideram o próprio negócio

Empreendedorismo Feminino: 34% das mulheres lideram o próprio negócio

Contrariando momentos políticos e econômicos turbulentos, nos últimos anos a atividade empreendedora no Brasil vem crescendo. Estamos a frente de países como Holanda, Irlanda e Reino Unido quando o assunto é empreendedorismo em estágio inicial. Mais do que isso, outro fator positivo nos chama atenção: o empreendedorismo feminino está em alta, e boa parte dos empreendimentos iniciais contam com liderança feminina.

Do montante total de empresas abertas nos últimos 17 anos, 34% são comandadas por mulheres. Isso corresponde a mais de oito milhões de mulheres brasileiras gerando a própria renda. No nordeste, temos um dos índices que mais cresce: 35% das mulheres são independentes através do investimento em novos negócios e franquias em ascensão – como as de estética. Dessas mulheres, 45% também são chefes de família. Os dados são da Global Entrepreneurship Monitor, pesquisa realizada pelo Sebrae em parceria com o Instituto Brasileiro Qualidade e Produtividade (IBQP).

Mudanças sociais

Mais do que dados econômicos, os resultados obtidos pela pesquisa nos mostram que profundas mudanças sociais estão em andamento. A taxa de homens liderando novas empresas, que por muito tempo foi dominante, cedeu espaço. Hoje, 15,4% dos negócios iniciais são chefiados por mulheres, enquanto a taxa masculina fica em 12,6%. Ainda que a maioria (55.4%) das empreendedoras estejam sob o registro de MEI (Microempreendedor Individual) e trabalhem na própria casa, muitas delas já conseguem obter o próprio negócio ou investir em franquias, que vem se provando ser um dos meios mais seguros e rentáveis de investimento no Brasil.

Tal representatividade é importante para que se mude o status quo, ultrapassando as barreiras econômicas e atingindo pontos sociais: a tendência dos resultados é que cada vez mais possamos encontrar mulheres independentes financeiramente, além de forçar a equiparação salarial entre gênero no país de um modo geral, até para as que não empreendem ou chefiam o negócio próprio.

Empreendedorismo feminino: tornando o caminho mais fácil

O resultado da Global Entrepreneurship Monitor não apresenta mudanças de curto prazo. Não é da noite para o dia que as mulheres passaram a ocupar a posição de empreendedoras do próprio negócio. Muito chão ainda deve ser percorrido, e o apoio entre empreendedoras é fundamental. Assim, é importante que a mulher que está abrindo um negócio, seja como MEI, adquirindo uma franquia ou abrindo uma nova empresa, busque por grupos de mulheres na mesma situação: o apoio e a troca de experiência nessas situações são extremamente ricas.

Além disso, é preciso ter foco. O planejamento é fundamental para o sucesso do investimento. Uma das melhores formas de se preparar para o empreendedorismo é o mapa mental. Nós já escrevemos sobre o assunto aqui no blog, e você pode ler clicando aqui.

Você acha que já está pronta para participar do percentual de mulheres independente financeiramente, investindo no próprio negócio? Então faça o teste abaixo e fique de olho no blog Franquias Onodera.

Deixe uma resposta

Fechar Menu