Como manter uma franquia lucrativa sem fechar as portas

Como manter uma franquia lucrativa sem fechar as portas

Quem busca investir em franquias, quase sempre prioriza o valor do investimento e a lucratividade na hora da escolha. Nem sempre, o nome, tradição e processos internos importam a curto prazo. Mas, a médio prazo, essa decisão acaba cobrando – e custando caro – para o investidor. 

Diversos descuidos na gestão podem resultar no declínio de um negócio. Esses pontos de atenção tornam-se elementos importantes na hora de decidir se uma franquia é lucrativa ou não, apesar de que possam ser evitados tanto ao contar com o apoio da franqueadora para uma gestão eficiente da unidade. 

Para te ajudar a entender esses quesitos que merecem maior atenção, nós separamos os principais motivos que levam uma franquia a fechar suas portas para que você passe longe de todos eles:

O que atrapalha uma franquia de sucesso?

1. Localização

O principal fator que leva uma franquia a fechar as portas são erros de localização. Mais do que se atentar ao acesso físico do local escolhido, é preciso analisar o público local, sua idade, seus hábitos, sua renda e diversos outros aspectos que atestarão a viabilidade do local ou não. Pode ser arriscado, por exemplo, investir numa franquia de academia 24 horas em um bairro residencial que dificilmente apresenta movimento noturno, compensando a mão de obra e atendimento ininterruptos. A mesma franquia pode ser extremamente lucrativa, por outro lado, se for escolhido um bairro próximo a grandes centros ou em suas rotas, onde diversas pessoas circulam até mesmo em horários pouco usuais. 

Portanto, é preciso se assegurar que a franqueadora esteja envolvida na escolha do local, realizando estudos de geomarketing para determinar o público do seu negócio a fim de encontrar o melhor ponto para abrir a unidade.

2. Capital de Giro

O principal aqui é que o contato entre franqueador e franqueado seja o mais transparente possível. Isso porque diversas franquias podem acabar anunciando valores de capital de giro que não correspondem totalmente à realidade. O capital de giro é essencial para que a unidade se mantenha sozinha por um período de tempo. Por isso, quanto mais próximo o valor for da realidade, menos surpresas o franqueado terá ao longo do caminho. 

3. Treinamento

Principalmente em franquias de serviços, como as de estética, é preciso que o cliente final sinta que os funcionários saibam exatamente o que estão fazendo. Isso garante segurança e confiança do paciente e confere prestígio e reconhecimento da marca.

Os clientes são o maior bem de qualquer negócio, e o tratamento dele deverá ser opcional Assim, o colaborador que não recebe ou não participa de treinamentos pode contribuir para a “má fama” da unidade, o que afasta clientes e prejudica a rentabilidade e lucratividade, resultando crises que exigem tempo até serem contornadas.

Onodera: excelência e lucratividade

Foi pensando em todos esses fatores que a Onodera desenvolveu diversas ações que garantem o máximo de lucratividade para o franqueado. Nossos estudos de geomarketing, por exemplo, que tornam possíveis a análise do local e do público, asseguram que o ponto escolhido corresponde a todas as expectativas da rede. Nossos treinamentos para funcionários também garantem que o serviço oferecido esteja de acordo com a qualidade da franquia e com o que o cliente espera.

Também é preciso entender o perfil do cliente. É por isso que a Onodera preza por diversas reuniões de alinhamento e teste comportamental entre os objetivos do futuro franqueado em relação à expansão da marca. O processo seguinte aprofundará os contatos e estreitará relações para que se crie um elo de confiança que impulsione franqueado e franqueador adiante. 

Para saber um pouco mais sobre os nossos diferenciais e todo o suporte ao franqueado, fique de olho no nosso blog e baixe já nosso material exclusivo.  

Deixe uma resposta

Fechar Menu